Cerveza!!

Bueno, estamos aqui pra isso: falar de cerveja. Parafraseando Caetano, do muito que bebi, do que li e do pouco que sei vejo que não há regras pra cerveja. Mas sim linhas-guias, tendências e trejeitos.

Assim achei o MEU jeito de apreciá-las (isso é o tipo de coisa completamente subjetiva, se você não concorda com meus métodos, não tem problema). Porém acredito que algumas coisas que deveríamos considerar nas vezes que provamos uma cerveja – não importa se é uma inédita ou aquela de sempre, num boteco-pé-sujo ou boteco-chique – são:

1 – Cara, foi um ser humano que desenvolveu o que você está bebendo. Uma pessoa que bem ou mal pensou na receita, executou com o próprio conhecimento e intuição e pôs a venda. Tem pessoas envolvidas no processo todo: desde o contador da empresa que controla as notas, passando pelo cara que carrega os barris, caixas e insumos, até o garçom que te serviu. Falar simplesmente que é uma bosta, é fácil; admitir que você não conseguiria fazer algo assim ou tentar ajudar a fazer melhor, é sempre mais difícil.

2 – Como foi conservado? Não importa se é daquelas que vem 100 pra 10 sobreviverem o transporte ou daquelas que possuem o rótulo com uma assinatura do mestre-cervejeiro supervisor: é possível que algo no processo de fabricação, transporte e armazenamento tenha saído errado. Deu zica. É simples assim, algo pode ter dado errado, tendo em vista que cerveja é uma bebida mais delicada do que costumamos pensar. E isso deve ser levado em consideração toda vez que bebemos uma cerveja e percebe-se que ela está fora do seu normal. Tipo tpm.

3 – Comentários toscos: guarde pra si mesmo. Qualquer coisa que seja insensata sobre preço, características… Guarda pra você, ninguém merece ouvir um “sinto aroma de pêlo de unicórnio dourado das pradarias do Norte” ou “é, eu paguei beeeeem mais barato por essa breja na EUROPA”. Isso é coisa de gente que não sabe argumentar.

De qualquer jeito, espero que meu ‘guia’ possa ser de ajuda aos iniciantes no hobby de ‘apreciação de cervejas’. Porque como disse: é algo completamente subjetivo, cada paladar é único. Com a prática – e essa é a graça da coisa – você melhora cada vez mais seus sentidos e percebe cada vez mais coisas em algo que aparentemente é só uma cerveja num copo – mas mantenha o valor 3 em mente, ok?

Vamos lá:

Aparência & Aroma – Aqui são as preliminares. Você dá uma olhada no ‘corpo’, na espuma e tenta perceber os aromas. Isso por si só já diz muita coisa em uma cerveja, estilo, ‘assinatura’ da cervejaria/cervejeiro, escola e outras várias coisas…

Sabor – Essa parte é o primeiro gole. Onde começa a diversão, onde você pode se maravilhar ou decepcionar, mas perceber que invariavelmente toda cerveja é uma experiência. Aquela que você acha que conhece há anos, e ver que mudou alguma coisa. Ou conhecer sua nova cerveja do dia-a-dia, sua mais nova sétima ‘esposa’.

Sensação & Drinkability – E aí? Vai levar pra casa ou foi coisa de uma noite só? Caiu bem nesse calor de 30° e você sabe que vai cair bem naquela friaca de 10 [Drinkability] ? Você decide aqui. É já no segundo ou terceiro gole, pra muitos no final do primeiro.

Conceitos. Alguns preferem notas e daí vai também muito de cada um. 0 a 100, 0 a 10, 0,5 até 5,0 e com as mais variadas expressões. Coisa de engenheiro, se você me perguntar. Prefiro a boa e velha escala de Likert:

++) Uno más! – Auto-explicativo.

+) Valeu a pena – Foi bom enquanto durou.

+/-) É… – Não funcionou, né? Tudo bem, acontece com todo mundo. Dizem.

-) Hm. – Muita gente nunca leva os pontos finais de uma frase à sério.

– -) No me gusta. – Tão auto-explicativo (e útil, se você estiver num bar em terras de língua castelhana) quanto o primeiro conceito.

Uma Reflexão: Um elefante é cinza, mas nem tudo que é cinza é um elefante.

Eu acho que a etimologia de certas palavras já diz tudo. Ao beber uma cerveja, buscamos o seu “Tasting” ou em português – no meu ponto de vista, o termo mais correto – Saboreá-la. E não ‘degustá-la’. Pessoalmente, há tempos que não paro e faço uma ‘avaliação’ dessas em casa. No bar acho que não cabe muito ficar fazendo elocubrações sobre algo que é simples. Agora, se você comprou uma breja mais diferente, algo quase único, acho válido reservar um tempo e um pouco de silêncio pra apreciá-la do melhor jeito possível.

“Lovely day, right?”

2 opiniões sobre “Cerveza!!”

  1. Leandro Duarte disse:

    Fala, Mr. Leo. Sou o Leandro, o cara da La Trappe Quadruppel do Empório. Tô curtindo seus textos aqui. Muito legais, sempre. E você, como anda? Pretendes aparecer lá pelas bandas de Pinheiros qualquer hora?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s